Cabo Verde
Encontro
You need Java to see this applet.
EDUCAÇÃO OU INFORMAÇÃO, É A CHAVE DO DESENVOLVIMENTO
Nov 19, 2009
                                                                                   PODER DO VOTO
                                                                         POLÍTICO/DESPORTIVO

Quero aproveitar um pouco deste espaço para falar   sobre o susto que a maioria dos Caboverdianos   apanharam   a   
respeito do mosquito Dengue, que segundo muitas fontes já está a dissipar graças a Deus e as pessoas que estão a
intervenir.

Para as familias que perderam seus entes queridos,  respeito e consideração formulo.

Seria bom que tirassemos uma boa liçao desta calamidade, devemos mudar a nossa maneira de pensar ou nossa cultura
para que isso seja coisa do passado,   limpando mais e melhor.

Deve se dizer também e em abono da verdade infelizmente que a imagem do País no estrangeiro sofreu um pouco.   Por isso
uma campanha de “Damage control” control de dano deve ser promulgada ou desenvolvida no estrangeiro o mais rapido
possivel a fim de trazer mais turistas e receitas para nossa economia de que tanto precisa.

Cabo Verde, tem dois grandes partidos políticos, o PAICV e o MPD;  sem se esquecer a UCIDE  que tem assento no
Parlamento e  é um bom partido.

Pode se analizar estes dois grandes partidos, usando uma analogia ou uma forma desportiva, comparando os com duas
grandes equipas de futebol.

Ambos partidos são formados com políticos de  boa craveria   e com uma certa experiência, podemos dizer tanto no campo
nacional   como internacional; só que no plano internacional, muita coisa ou muitos lances ou jogadas devem ser mais
aperfeiçoados.

O team PAICV,  constituido por alguns  bons “jogadores” normalmente usa a defesa como seu forte, aproveitando de contra-
ataques na maioria das vezes para chegar a victória.

O team MPD, também constituido por alguns excelentes “jogadores” sempre está no ataque com intenção de vencer,  já
conseguiu importantes victórias mas tem uma defesa que as vezes não ajuda o team, fica vulnerável  em muitas jogadas.  

Entre as duas grandes equipas, temos o team UCIDE  que não tem tido alcançado muitas victórias, talvés por falta de
recursos para contratar bons jogadores ou por qualquer outro motivo mas, é muito respeitado   pelos os dois teams gigantes  
porque já sabem que o fáctor voto sempre pode oscilar de um lado ou outro,  fazendo o qualificar para uma boa pontuação no
campeonato da grande liga.

Ora toda gente sabe que  para ter boas partidas de futebol nem sempre os bons jogadores proporcianam bons expectaculos  
se não houver uma boa equipa de arbitragem - que  é um fáctor fundamental para   fazer cumprir ou respeitar  as regras do
jogo,  sem isso os    espectadores não ficam contentes.

Neste caso, o team de arbitragem pode influenciar ou dicidir mesmo o resultado do jogo, levando a equipa derrotada a uma
meditação profunda colocando o durante muito tempo fora da competição.

A equipa perdedora  tem que  procurar maneira de como reorganizar melhor para um novo embate.

Por outro lado,  o team victorioso,  celebra sempre a sua victória com euforia e os adeptos ficam esperançados de que o team
vai continuar a melhorar para uma nova temporada.

Muitas vezes não acontece assim, problemas aparecem,  por exémplo, alguns jogadores tem contratos a renovar e pedem
mais dinheiro ou ás vezes o próprio treinador quer mudar, ou outras divegencias etc

Qualquer Caboverdiano democratico ou desportista com “fair-play”  e no seu perfeito juizo,  não deve  negar ou contestar as
victórias alcançadas em prol da democracia Caboverdiana pelo team MPD e dos   dirigentes do mesmo porque é histórico.

Por outro lado,  o team PAICV como todos sabemos,  teve que competir duramente durante a sua formação para aguentar os
desafios desproporcionados de equipas estrangeiras, aparentemente mais fortes em jogos sem boa arbitrangem, mas
mesmo assim, conseguiu alcancar difinitiva victória que deu Cabo Verde chance de organizar seu próprio campeonato
nacional da primeira liga.  

Ora,  falando novamente da arbitragem,   o verdadeiro arbitro das equipas ou dos partidos políticos é o POVO,  ele é que dá
victória aos partidos políticos. O Povo quando tem uma consciência democrática não é fácil de ser manipulado, sabe bem
escolher o melhor, mas infelizmente quando a consciência não está educada ou preparada muitos factores contribuiem para
um retrocesso democrático como acontece em muitos regiões do continente Africano ou em outras partes do Globo.

Cabo Verde, está entrando numa temporada ou jogo político com as eleições que está se avizinhando, os teams ou partidos
políticos já estão preparando em jogos treinos em diferentes arenas nacionais e internacionais, gastando muito dinheiro –
apesar de sermos pobres e a pobreza aumentando – mas mesmo assim, dá se tudo para ganhar o trofeu.

Aqui nos USA durante muitos anos os Caboverdianos tem sido procurados para influenciar os teams políticos em Cabo
Verde, até já decidiram resultados finais do jogo. Não é  de estranhar que os dirigentes dos teams estão a jogar nestas
paragens porque sabem perfeitamente que aqui as jogadas tem de ser aperfeiçoadas para atingir um bom resulado.

Numa entrevista radiofónica ouvida na terra do Tio Sam, o Capitão do team PAICV o Sr. José Maria Neves, Primeiro Ministro de
Cabo Verde, um interluctor inteligente de todos conhecidos pelo seu bom trabalho na arena política nacional e internacional,
deu ao Sr. Valdir Alves, uma pessoa e vóz muito conhecida na nossa comunidade  na rádio e TV e numa entrevista no Porton
Di Nos Ilha de quase uma hora de duração, mais de 80% das respostas das perguntas do P.M. Sr. José Maria Neves
diflectiam  a culpa para  o team MPD, pode ser verdade ou nao; mas parece que a oposição em qualquer team nunca está
100% errada, se fosse assim  não haveria desafio.

Por outro lado, o team MPD encabeçada pelo seu Capitao Sr. Carlos Veiga, Ex Primeiro Ministro de Cabo Verde,  um politico
bem conhecido em Cabo Verde e na Diáspora vem para os USA nos próximos dias acompanhado pelo seus melhores
jogadores, sua equipa está desenvolvendo uma forte campanha de propaganda na rádio e outros meios de comunicação
para uma incentivação à comunidade.
Uma pergunta que eu gostaria de perguntar seria que … sendo Cabo Verde um país   de desenvolvimento medio, tem uma
capital chamada Praia e muito populosa, como se pode entender que frequentemente está sofrendo de apagão ficando sem
luz ou energia durante muito tempo.

Porque foi negociada o contrato com uma empresa Portuguesa  e não com outras empresas estrangeiras que poderiam bem
abastecer mais e melhor de energia Praia capital de Cabo Verde?

A Electra e o  Cabo Verde Telecom sao empresas Portuguesas, porque não foi negociada com a França ou Inglaterra que são
donos do Telecom. Quem fez o contracto?

Tudo leva a crer que estamos aproximando para grandes partidas de embates politicos e vai ser interessante seguir.
Para finalizar esta resenha politica/desportiva não podia deixar aqui uma observação para os internautas, e também porque
estamos ligados de muitas maneiras aos nossos amigos Portugueses,  uma frase  que ouvi numa rádio de um dirigente
duma empresa Portuguesa - se a memória não me falha - veio do Presidente da SIC que diz: “As  Empresas Portuguesas
devem fazer batotas para competirem no mundo de negocio”. Uma afirmação não ética desta natureza embora pode ser   com
boa intenção, deve acender mais luzes na nossa memória.

A todos votos de uma boa partida.
www.topicos123.com
Randolph USA
Nov 19, 2009
Nov 29, 2009
                                                          
PODER DO VOTO
                               POLÍTICO/DESPORTIVO #2


Realizou-se ontem 28 de Novembro, 2009 a Convenção da Família Democratica na Diaspora do MPD que
teve um grande impácto na comunidade aqui nos USA, calcula se que pelos menos mais de 700 pessoas
estiveram presentes neste encontro que  foi transmitido para o mundo inteiro via internete.

Também ontem Benfica e Sporting empataram num jogo que teve muita expectativa mas o resultado foi nulo.
O treinador do Benfica disse que o Sporting já está praticamente fora  da competição para o titulo, uma
afirmação talvés pouco prematura considerando que ainda matematicamente o Sporting pode qualificar para
ser um bom candidato.
Voltando a Convenção do MPD de ontém alguns membros da comunidade, foram condecorados pelo seus
serviços comunitários à comunidade.

O  team do MPD, aproveitou pela primeira vez   da inovação tecnológica na internete, usando  “cutting edge
technology”  ou tecnologia de ponta para fazer chegar sua mensagem a comunidade aqui e no estrangeiro.

Com um discurso muito aceitado e de quase uma hora de duração o ex- Primeiro  Ministro de Cabo Verde,
Sr. Carlos Veiga, abordou muitos temas pertinentes de interesse aos Caboverdianos na diáspora e em Cabo
Verde.  
Também frisou a união coesa do seu team que apresenta algumas velhas quardas e que segundo disse está
esperançado num possível empate ou mesmo vitoria.

Um tema que foi dado muito realce é o próximo recenseamento eleitoral que vai começar em 2010 e que
segundo disse ele, tem de ser transparente e sem contornos.

Ora tudo parece que  estamos entrando num periodo de muita espectativa politico/desportivo onde o poder
do voto vai decidir mesmo quem vai ganhar.

Parece que os derigentes do MPD já estão posicionados para enfrentarem muitos desafios e tudo leva a crer
que agora mudaram de tactica jugando mais no ataque.

Por outro lado o team PAICV, liderado pelo seu Presidente Dr. Jose Maria Neves, deve estar preparando a
sua equipa para enfrentar duras partidas que estão avizinhando consciente que para chegar a um bom
resultado final tem que usar tacticas modernas ou preparar mais para enfrentar os jogos.

Tudo isso só  engradece mais a comunidade fazendo com que a nossa democracia continua sempre
prosperando a bem do Povo Caboverdiano.

A todos votos de uma boa partida.
www.topicos123.com
                                    COMENTÁRIOS
The following form submission was sent.
name: Eduardo Monteiro
email: edymonteiro1@hotmail.com
phone:

A Primeira Convenção Democratica dos Militantes e Amigos do MPD nos EUA decorreu num clima de muita tranquilidade
onde os presentes ficaram com a certeza de que com o regresso dos antigos militantes e com o seu carismático lider
Carlos Veiga, a victoria na próxima eleição legislativa é uma certeza.
Na emigração, mais concretamente nos EUA, os militantes do MPD, devem trabalhar arduamente para que possamos
eleger um Deputado.  Para que isso aconteca, temos que recensear e votar, só assim poderemos tirar o Partido do
Governo e mudar o rumo da nossa terra Cabo verde.  
Dez 18, 2009
                                               POLITÍCO CULTURAL & DESPORTIVO
                                             DIASPORA  X CABO VERDE

Das civilizações antigas,  aprendemos e continuamos aprendendo  a desvendar o nosso passado em relação ao presente
que está levando nos a um futuro cada vez mais emocionante e enigmático.
A cultura é uma parte fundamental do povo e por mais rica  e diferente que ela  seja,  sempre há claches ou confrontações
cultarais principalmente quando a politica  está presente.

Sabemos um pouco a história das grandes civilizações,  por exémplo,  a antiga cidade  de   Babilónia no Medio Oriente,  mais
prescisamente no Iraque,  segundo dados históricos,  foi uma das mais desenvolvidas do seu tempo.  O povo  Iraquiano tem
uma cultura rica e deversificada com os seus pros e cons.

O que nós temos na cultura occidental,  pode ser muito diferente no mundo oriental.
Uma prova disso ocorreu durante uma das últimas visitas do ex-presidente Bush dos USA a Bagdad capital do Iraque;  no
decorrer de uma conferência de imprensa que  estava sendo transmitido ao vivo pela televisão e radio,  a dada altura,  um
Jornalista presente, atirou duas sapatadas a queima roupa directamente a face do ex-presidente Bush que   instintivamente
fez uma inextremis defesa,  livrando assim do impácto dos sapatos que podia causar graves danos à sua face,   mas
mesmo assim,  a surpresa, o medo e a recordação daquele instante de certeza,  ficou gravada na sua mente para sempre.

Ora,  para nós   os sapatos são simplesmente   para proteger os pés, mas para os iraquianos além de proteger os pés os  
sapatos quando atirado às pessoas são objéctos de grandes  insultos e despreso total.

Um outro caso bem diferente   ocorreu nas últimas semanas  em Milão,  Italia,  no mundo ocidental, onde o  primeiro-ministro
italiano, Sílvio Berlusconi quase perdia a face ao ser atingido   com uma estatueta metálica no momento que ele estava
dando autógrafos   por um homem a curta distancia partindo lhe o nariz, quebrando-lhe dois dentes e rachando lhe a boca   
para não falar do medo ou trauma que sentiu.  Infelizmente e a semelhança   do ex-presidente Bush ele não teve chance de
livrar e fazer a sua defesa.

Segundo muitas fontes noticiosas o individuo culpado sofre de perurbações mentais, mas mesmo assim quem sabe, se
não foi usado ou preparado por outros para fazer este sangrento ataque.
Tudo leva a crer que neste caso a segurança ou os guardas costas foram antecipados por este suposto atacante e falharam.

Estamos atarvessando ou presenciando tempos e áctos de violências que devem ser cada vez mais tomado em
consideração para evitar o pior.  

No campo desportivo,  também nas ultimas semanas a baila está o caso do Tiger Woods, um dos maiores golfistas senão o
melhor do mundo, com uma riqueza calculada em  mais de um Bilhao de dollars, aparentemente estava jogando em
campos amorosos que teve um resultado chocante para muitos adeptos que ficarm desilusionados com essa conduta que
cada dia mais está sendo   mais prejudicial financeiramente para ele com as empresas patrocinadoras retirando lhe
contráctos   em mais de 100 milhoes de dollars anuais e para nao falar do anuciado divorcio que segundo dizem vai ser o
mais caro do mundo.  
Neste caso felizmente o autor da jugada foi o próprio,  o que nos leva a crer que a   atração femenina normal foi bastante forte
e insuperavel.    

A parte  do perigoso acidente de automóvel que ele apanhou e à semelhança de outros  idênticos trinagulos amorosos
ocorridos no desporto,  quem sabe, ele poderá continuar a deleitar os adeptos do   golfo  com lances e medidas
genuinamente fantásticos.
Entrando outra vez na arena politica x seguranca, o palácio talvés mais guardado do mundo,  a Casa Branca nos USA onde
reside o presidente Obama com a sua familia,  foi alvo de  uma falhança espetacular na segurança que deixou muita gente
com apreeensão. Durante um baile realizado naquela residência presidencial  um casal não convidado  conseguiu penetrar
e passar a forte segurança e tomar parte na festa  a ponto de serem fotografados juntos de  altas personalidades do governo
americano como o vice presidente e mais.  O  caso está sendo investigado e o presidente Obama disse numa entrevista
concedida a Diva da televiasão americana Oprah Winfrey  que isso não devia acontecer  e  jamais vai acontecer.  Assim seja.
Para continuar  esta resenha ou comentário, entramos um pouco na nossa comunidade no campo da ética que a todos deve
interessar.  

Há bem pouco tempo num discurso enderessado ao povo americano aqui nos USA e transmitido ao vivo para todo mundo    
onde estavam presentes praticamente todos os membros do governo no poder,  os representantes  do Congresso e de
todos os partidos politicos; a dada altura quase no fim do discurso do presidente Obama um representante do Partido
Republicano,  levantou e gritou bem alto ao vivo que o Obama é mentiroso dizendo  outras palavra defamatórias que deixou
espantados a todos.
Finalizado o discurso do Mr. Obama não se fez esperar a reacção dos orgãos da comunicação social e menos de 24 horas
depois, o mesmo indivíduo   pedia desculpas ao presidente Obama e ao public, obrigado ou aconselhado a fazer assim
pelo   membros do partido Republicano.

Ninguém ou nada é perfeito, a nossa conduta moral difine a nossa posição social na sociedade ou numa comunidade,   isso
tem repercursão  independentemente da nossa vontade porque deixam  marcas positivas ou negativas  a seguir,  devemos
ponderar e avaliar antes de decidir o que vamos fazer ou dizer,  porque não fazendo assim,  estamos contribuindo contra nós
mesmos e a nossa personalidade  fica desvalorizada prejudicando e lançando maus exemplos,  dividindo a  harmonia na
nossa sociedade e consequentemente atrazar o  nosso avanço no caminho da democracia.   
No continente africano, Cabo Verde é um exémplo,  por enveredar no caminho democrático muitos ganhos ou benefícios  
foram ou estão a serem  ganhados.

Recentemente fomos contemplados com mais um prémio  do Millennium Challenge Corp., dos USA,  o que prova que Cabo
Verde está sendo reconhecido  pelo seu esforço na senda do progresso;  é  um reconhecimento mesmo especial e uma
honra, honrrando o Povo Cabo Verdiano o seu Governo, e também   os dirigentes dos Partidos Politícos que permitiram para
que isso aconteça.  
O Director do Millennium Challenge Corp.,  em Cabo Verde,  Mr. Stahis Panagides,  disse ao Nobidade TV que este
programa  contempla os países que caminham no caminho da democracia,  e que o projécto se  destina ao melhoramento
ou criação de infraestruturas no país tais como portos, estradas,  e sem esquecer a ajuda aos empresários de micro
empresas  que são um factor fundamental para desenvolvimento economico de um país. Também disse que o porto da
Praia vai ficar um dos melhores se não o melhor daquela costa atlántica.

Ora bem,  de facto o bolo é grande,  cento e tal milhões de dollars nao é uma quantia pequena, seria bom que uma pequena
fatia desse bolo seja aproveitada para outros serviços que permite   uma melhor participação e igualdade na sociedade
Caboverdiana.
Por exémplo, segundo muitas estimativas mais de 90% das instituições do estabelicmento do Estado de Cabo Verde, tais
como Escolas, Registo Civis,  Tribunais, Camara Municipais, Correios, Bibliotecas,  Lugares de Votos  e até mesmo muitos
lugares de saúde como Postos Sanitários, Farmácias são inacessiveis a pessoas portadoras de deficiências motoras, o
que não fica bem num pais de desenvolvimeto medio que está querendo ser um bom exémplo para outros países.

A comunidade tem um papel fundamental a desempenhar neste aspecto, os nossos Deputados devem ser incentivados e
sensibilizados    sobre  este aspécto porque só temos a ganhar,  podemos seguir exemplos de outros paises que criaram
decretos de leis na  Constituição que garantem estes direitos porque o  “O DIREITO NAO SE OFERECE, DEVE SER
GARANTIDO”.

Não se deve  criar barreiras, devem ser retiradas. Como é possível compreender que ainda a maioria das nossas ruas nas
nossas cidades ainda não tem  rampas de acesso,  não obstante estamos construindo cada vez mais estradas, auto
estradas, edificios etc .  Estudos revelam que promover acesso beneficia o público  e até o custo pode não ser muito para
mudar ou  implementar.   
Muitas pessoas vão dizer que não é facil, mas ninguém disse que é, mas é possível.

Segundo a PANA,  Cabo Verde,  recenseou 13 mil e 948 pessoas com diferentes tipos de deficiência, o que representa 3,2
por cento da população total do arquipélago calculada em 480 mil habitantes.

Se se fizer uma campanha de sensibilização e incentivação  junto dos nossos politicos,  governo  e a comunidade   em gera,  
pode   se ter mais igualdade na sociedade que consequentemente traduz se numa maior participação e produção a bem de
todos.    
UM NATAL ALEGRE & FELIZ ANO DE 2010.
Joaquim Fontes – Quinquim
www.topicos123.com
Randolph USA
Dez 17, 2009  
Jan 2, 2010
                                           
                                      POLITÍCO / CULTURAL
                                           Carlos Veiga vs Pedro Pires

No fim de cada ano formulamos muitas mensagens à famíla, aos amigo/as, a comunidade e pode  se dizer até mesmo
aos inimigos, porque fazendo assim podemos, quem sabe, mudar muitas coisas.

Quando misturamos por exémplo a política com a cultura, embora, podem estar relacionados de alguma maneira, a
tendencia é sempre desviar um pouco da realidade, ás vezes para o bem ou para o mal.

De entre muitas mensagens que recebemos através dos meios da comunicação ou multimedia, ouvimos ou
presenciamos dois importantes discursos do fim do ano, dirigidos especialmente a nação cabo-verdiana por dois grandes
politicos cabo-verdianos, nestas mensagens pode se ver que são praticamente e diametralmente opostas o que deixa aos
recipientes um tanto ou quanto um pouco a deriva se não estiverem preparados para dessecar,  absorver ou entender o
seu conteudo.

Neste nosso jogo politico democratico que estamos presenciando ou seguindo, devemos analisar e ponderar um pouco
antes de decidirmos em que equipa devemos apostar.

Devemos até exigir e criticar  quando achamos que os lances das jogadas não estão a contribuir para um bom jogo.  
No discurso do Presidente da República, Sr. Pedro Pires, um grande politico, ele fez uma analise dos grandes dilemas e
opções que o país tem ou está a enfrentar mas, sem contudo frisar ou aprofundar mais num um ponto crucial negativo da
nossa comunidade que é a criminalidade na nossa sociedade, tanto no país como na diaspora, é um tema bastante critico
em qualquer sociedade e deve ter muito mais prioridade a fim de encontrar uma melhor solução para pôr cobro a este
flagelo.

Por outro lado no discurso do Presidente do MpD, Sr. Carlos Veiga, também um grande político, tem uma abordagem
profunda e critica sobre o estado da nação Cabo-verdiana mas, deixou de ponderar um pouco no efeito global da crise  
económica que está reflectindo negativamente em quase todas as nações e praticamente em todos os sectores da vida
social de qualquer país.    
Todos nós sabemos que para sairmos do marasmo economico que estamos, temos que ser competitivos e mais unidos
num objectivo  comum de fazer com que a nossa sociedade seja cada vez mais unida, progressiva e mais segura.

Para que isso aconteca todos os partidos politicos, a comunidade e seus representantes, devem comungar no sentido de
encontrar solução ou minimizar os efeitos negativos dessa onda criminal e nefasta que está afectando a nossa
comunidade.

Também queria aproveitar esta opurtunidade para lançar um apelo aos orgãos informativos “media”da nossa comunidade  
em geral, os religiosos, os intelectuais, as autoridades, os activistas da comunidade, os desportistas, os musicos as artes
etc para coloborar num esforço comum  sobre a problemática da criminalidade na nossa comunidade e servir de um
veículo de inspiração positiva e não de contendas, mais interactivo onde todo/as podem participar duma maneira ou outra,
valorizando o self-steam com diálogos e sugestões interactivos que podem consciencializar mais os nossos jovens e
consequentemente a nós mesmos.
Um Bom Ano Novo.

Quinquim
www.topicos123.cm
Randolph USA
Jan 20, 2010


                     Terramoto Político  em Massachusetts USA

Depois de quase cinquenta anos de domínio do Partido Democrático no Estado de Massachusetts, liderado sempre pelo
carismático e imbátivel Senador Eduard Kennedy - que já deixou o mundo dos vivos -  um dos mais notáveis, senão o
mais notável de todos  os tempos.    

O xadrez politico desta grande nação  que é os USA, vai mudar de certeza radicalmente com a victória do pouco conhecido
Senador Scott Brown, um novice que de noite para dia conseguiu tremer a fundação politica moderna do estado de
Massachusetts, conseguindo uma proesa que a poucos dias antes das eleições, parecia quase impossivel, porque nas
previsões ele estava mais de vinto pontos distanciado do seu oponente, a Senhora Martha Coakley.

O jogo político ás vezes tem resultado imprevisível com consequência bastante negativo,  como é o caso da candidata que
o Partido  Democrático escolheu para ocupar o lugar ou assento no Senado americano que estava para ser acupado.

O Partido Democrático escolheu a Senhora Martha Coakley,  uma escolha fraca e fatal, tendo em conta o que estava em
jogo.
Esta eleição é memóravel e com repercursões imprevisíveis para o Governo do Presidente Obama que jogou uma cartada
que parecia fácil mas  que tornou um verdadeiro pesadelo político referente ao seu programa de seguro de saúde pública
que estava sendo implementado pouco a pouco nos USA,  programa este que teve como seu maior aliado o Senador
Kennedy.

O Senador Scott Brown e o Partido Repúblicano, usaram como calcanhar de Aquiles o custo do programa de saúde,  a
crise económica nos USA e o envolvimento e alastração da guerra contra o terrorismo, se assim se pode chamar, como
armas letais  para vencerem esta eleição, aproveitando principalmente do descontentamento dos independentistas que
sem margem para duvida deram lhe está memorável victória.
Os independentistas são como jogadores suplentes que quando votam, votam mesmo para desequilibrar a balança do
jogo ou resultado politico.

O processo democrático ou a corrida para o voto nos USA, tem sido muitas vezes alimentado por  grupos de interesses
especiais como foi neste caso;  os multinacionais de saúde ou indústria farmaceutica que o Partido Republicano  alinhou  
para injectar  grandes quantias de dinheiro para ver se poderia vencer.

De ambos os partidos, tanto o Democrático como  Republicano, gastaram somas astronómicas de dinheiro nesta eleição,
usaram personalidades de destaques na política, como Obama, Clinton,  Rudy  Giulian, John McCain, etc para
influenciarem os votantes, mas mesmo assim, o fáctor determinante foram os não alinhados,   e a escolha fragil que os
democrátas escolheram que colocaram o Sanador Scott Brown no assento parlamentar.

Ora, analizando um pouco mais a victória republicana e a derrota democratica,  como disse o Presidente Obama  “não se
pode ganhar sempre” certo, mas os sinais de jogos políticos apontam, que se o Partido Democrata não mudar de rumo o
mais rápido possível, vamos ver outras surpresas políticas.  Só vejamos o que  passou numa outra eleição em que um
Governador Democrata foi substituído por um Republicano, e agora,  falou Masschusetts...

As vezes num jogo, nem sempre os bons jogadores ganham, mas  quando perdem,  algo passou ou estava errado.
Considerando a popularidade do Presidente Obama aqui nos USA e no estrangeiro ao vencer a eleição presidencial,
pouca gente contava ou previa que isso iria passar perdendo um assento tão importante em Massachusetts, mas na
política, o poder de antecipação ou previsao são fáctores importantes que devem ser tomado em consideração.

Sabemos que o falecido Senador Edward Kennedy, era um grande amigo dos Cabo-verdianos, por quase cinquenta anos,
contamos com o seu apoio quase na maiorias das vezes,  de uma maneira ou outra.

Tendo em conta a victória do Senador Scott Brown em Massachusetts, um Estado que tem relação fraternal com Cabo
Verde e seu povo, muita atenção, ponderação, e habilidade política  deve ser tomado pelos nossos partidos poíticos e
seus dirigentes a fim de coexistir amigavelmente para que possamos usufruir frutos  de boas relações entre todos e que a
todos possa beneficiar.

Quinquim
www.topicos123.com
Randolph MA USA
Março 21, 2010
                         LEI DE SEGURO DE SAÚDE  PASSOU  NOS USA

No seu discurso a nação Americana, neste terceiro  domingo  quase à meia noite do més de Março de 2010,  
Barack Obama,  pronunciou ao vivo talvés o seu maior discurso politico da sua carreira depois da sua eleição
como presidente dos USA, ao informar os americanos que  a batalha sobre o seguro médico para todos foi
finalmente vencida.

Desde o seu primeiro dia na Casa Branca como presidente dos USA, Obama não perdeu tempo, lutando
politicamente contra a enorme e poderosa máquina politica ofensiva dos Republicanos e até mesmo  alguns
Democratas, mas  mesmo assim nesta  ultima semana e com uma contra ofensiva imparável conseguiu superar
o que parecia impossível para muita gente ao conseguir o resultado final de 219 votos a favor a 212 votos
contra.

Sem margem para duvida esta victoria da democracia Norte-Americana sobre esta lei de seguro medico
cobrindo  quase 100% dos americanos, tem sido procurado há quase 100 anos por muitos presidentes tanto
democraticos como republicanos mas por alguma ou outra razao nao foi possivel ate hoje.

Considerando o potencial económico e político dos USA   dificil  era de perceber porque quase 50 milhões de
americanos não podiam ter uma cobertura de seguro médico,  mas a explicação estava nos interesses e
ganhos  de muitos dos chamados grupos especias das grandes companhias de seguros médicos e
farmaceuticos que durante um seculo tem mantido um lobby e uma pressão tão forte que só veio a desmoronar
com a eleição do presidente Obama.

Dificil era de entender  tambem que numa sociedade pluralista e democratica como a dos USA,  imperava  uma
desigualdade tão forte sobre a lei de seguro médico que exigia e discriminava contra a chamada condição
prévia de saude que desqualificva um  homem, uma mulher, ou mesmo uma criança quer antes de nascer ou
depois se se tivesse  alguma anomalia relacionada com a saúde não permetindo lhes uma cobertura médica ou
o direito de seguro médico.

Tudo isso contribuiu em grande parte para uma instabilidade social economica   familiar,  levando muitas
familias a bancarrota,  desespero e caos economico  por pagarem ou gastarem quantidades exorbitantes  para
os custos de cuidados de saúde.

Os Republicanos alegaram ou estão alegando que o custo ou a manutenção deste programa de saúde  vai
aumentar o deficit / inflação e o desemprego nos USA a curto e a longo prazo, mas muitos disserama ou tinham
dito a mesma coisa sobre a criação do Medicare que é um outro seguro medico do governo que permitiu uma
reviravolta social e politica positiva dando cobertura medica aos trabalhadores aposentados e n
ão só dos USA.

Segundo um estudo de um grupo não partidário chamado Congressional Budget Office, os 875 bilhões de
dóllars de custo deste decreto de seguro de saude  que Mr. Obama vai assinar na terça feira está projectado
para diminuir a inflação federal em cerca de 118 bilhões de dóllars nos próximos dez anos.

O jogo político é interessante de se seguir,  e quando há boas partidas o público fica sempre contente,  
principalmente quando há grandes jugadores como é o caso do atacante Obama, é so lembrar que mesmo
perdendo algumas partidas como aconteceu em Massachusetts,  depois de perder quase infantilmente uma
partida histórica ao ser derrotado pelo suplente Senador Scott Brown no seu proprio campo, viu praticamente o
sonho do que foi também um grande jogador e que jogava com fair play, o que já nao habita o mundo dos vivos
mas mesmo assim, quem sabe, mesmo não jogando  pode estar contentííssimo naquele ou referindo, o que foi  
o seu maior ideal politico de ver quase todos os americanos com um seguro médico proprio.

Um obrigado ao falecido Senador Edward Kennedy que tanto contribuiu para que possamos ter partidas
políticas com um alto grão e nível de democracia.
Quinquim
www.topicos123.com
Randolph MA USA
Crianças sem registo: órfãos da nossa (falta de) vergonha!

O facto é conhecido: existem muitas crianças em Cabo Verde que não são registadas quando nascem. Outras são registadas
apenas pelas mães. Outras, ainda, são registadas muito tardiamente. Às vezes, tarde demais. Esta situação tem indícios de um
problema social muito grave em Cabo Verde. Além das razões estatísticas, de organização do país, etc., registar uma criança é,
sobretudo, dar-lhe um nome, conferir-lhe uma identidade, que contém os traços da sua/nossa família. É, orgulhosamente,
passar-lhe a nossa herança - o nome da família - pois temos a certeza que alguém vai continuar a nossa história. É também um
acto de amor. Orgulho e amor expressos de muitas maneiras: “É Nha fidju!”, “É Nos fidju”, “Nha fidju ki Dios da-m”! “Nha kodé!”,
“Nha fidju ke nha rikeza!”, etc., etc. Ser pai e ser mãe são desejos humanos profundos. Tanto assim é que o indivíduo
já não é o mesmo depois de isso acontecer. E na maioria das vezes, a vida passa a estruturar-se à volta dos filhos. Registar
uma criança não é um acto solitário.
É essencialmente um acto social: é assumir perante os outros a condição de pai ou mãe. É um novo estatuto! Quase sempre
vivido num misto de muita ansiedade,
emoção, alegria, surpresas, encanto e até alguma “basofaria”. É o assumir de uma nova identidade social. Ora, na sociedade
cabo-verdiana verifica-se uma grande contradição que se repete ao longo dos tempos: os nossos filhos e filhas (muitos!) não
são registados pelos pais após o nascimento. Não são assumidos. E aqui reside e começa um problema bem maior. Neste
aspecto, a nação está envergonhada.  No ano 2000, havia 2.526 Crianças sem registo (1). Em 2003, 2% de crianças de 0-10
anos de idade não estavam registadas (2).Só no concelho da Praia, entre 2007 e 2008, havia cerca de 4.000 processos de
registos incompletos, para perfilhação, na maioria casos sem o nome do pai! É uma
estatística que envergonha. Mas quem são esses pais, homens na sua maioria, que recusam reconhecer e assumir os seus
filhos? Porque é que muitos apenas o fazem tardiamente e perante a coacção da justiça? Porquê essa resistência? Porquê? E
sendo pais, afinal o que querem, ou o que não querem  esses homens? O que terá acontecido com esses homens? Terão se
tornado em pais-desnaturados? E quando os casos sucedem-se com as mães (são menos), colocam-se as mesmas
perguntas. Estas são perguntas que todos nós
devemos colocar e reflectir com seriedade e serenidade, tentando entender um pouco mais de nós, como povo e como pessoas,
membros de uma sociedade,
cujo desenvolvimento depende, também, desse conhecermo-nos melhor. Mas essa compreensão passa por reconhecer melhor
a realidade cabo-verdiana: vive-se uma “poligamia de conveniência”, geradora de graves conflitos e injustiças sociais,
sustentadora de um machismo indomável, que justifica irresponsabilidades e que cria um tipo de homem-macho manipulador
das relações com o outro. Lá no fundo, não registar e não assumir o filho, parece ser uma estratégia para se conservar num
certo anonimato, de um
“macho do mundo” que não é de ninguém. Enquanto prevalecer essa “poligamia de conveniência”, estão criadas as condições
para o crescimento de personalidades
destorcidas, geradoras de patologias  sociais que põem em causa o equilíbrio desta sociedade. Neste assunto, parece que até
o Estado está enrolado. Senão vejamos: Quem se
responsabiliza, para que, neste particular, se ponha na prática o famoso “Interesse superior da criança”? O que se fez, de facto,
durante esses anos para se inverter
essa prática tão prejudicial para o presente e futuro dos filhos e filhas desta nação? 1) ICM (2000), Problemática das crianças
sem registo de nascimento, Praia (p. 24).
2) Projecto Registo à nascença, Ministério da
Justiça, Praia.
Jorge Carlos Fonseca, constitucionalista e advogado

“REVISÃO CONSTITUCIONAL
MANTÉM II REPÚBLICA”


Advogado e constitucionalista, Jorge Carlos Fonseca assistiu de fora à revisão constitucional que terminou em Março deste
ano, após cinco anos de negociações. Contesta a ideia de que a revisão trouxe a III República a defende que é a datada de
1992 que se mantém vigente. Candidato assumido às presidenciais de 2011, Jorge Carlos Fonseca, antigo deputado e
ministro dos Negócios Estrangeiros (de 1991 a 1998), admitiu que a revisão poderia ter ido mais longe, o que a bipolarização
partidária reinante no arquipélago não permite e leve a que tudo dependa do entendimento dos dois maiores partidos - PAICV,
no poder, e MpD, oposição. A revisão, diz, foi, assim, “a possível”. Afirma não acreditar que o Presidencialismo seja uma boa
ideia para Cabo Verde, até porque a democracia no país ainda não está enraizada. Quanto à candidatura às presidenciais,
defende que o fato que veste o cargo lhe cai perfeitamente e que tem o perfil de chefe de Estado.

Por José Sousa Dias, exclusivo Lusa/OJE Cabo Verde

- Disse recentemente que a Constituição de 1992 institucionalizou a II República. Mas há quem defenda que a revisão deste
ano fundou a III. O que pensa disso?

Vigora a II República. É uma questão tecnicamente indiscutível. A Constituição de 1992 representa uma rotura, do ponto de
vista constitucional, com a anterior, de 1980. É a primeira da nossa História que institui um Estado Constitucional, no sentido
de que Cabo Verde passou a ser um Estado que tinha o seu fundamento na Constituição e que é limitado pela Constituição, o
que não acontecia com a de 1980. Esta partia de premissas muito diferentes, como a de o partido, primeiro o PAIGC e,
depois, o PAICV, ser o dirigente da sociedade do Estado e a de que o fundamento da legitimidade do Estado era o partido
único. É a partir de 1992 que se institucionaliza o Estado constitucional. Em 2010, houve apenas uma revisão. A Constituição
vigente é a de 1992, que funda a II República. Não houve rotura constitucional em 2010. Foi uma revisão normal, em que se
introduziram algumas alterações.

- Como constitucionalista, o que trouxe de novo a revisão?

A revisão trouxe coisas boas, aceitáveis e menos boas. Introduziu uma cláusula, que já defendo há muitos anos, que permite
a separação da data das eleições legislativas das presidenciais, uma divisão temporal, que permite reduzir a contaminação
de umas eleições pelas outras. Temos tido presidenciais logo a seguir às legislativas, o que, num país como Cabo Verde,
onde a democracia ainda não tem grande tradição e não é muito consolidada, transforma as presidenciais numa confirmação
das legislativas. O candidato apoiado pelo partido vencedor das legislativas ganhas as presidenciais. Torna mais consistente
a opção do sistema de governo, o chamado semipresidencialismo fraco ou parlamentarismo mitigado. Permite que as
presidenciais sejam mais de cidadania e menos partidárias. Trouxe também alterações na Justiça, nas composições do
Conselho Superior de Magistratura, obriga a eu haja um tribunal de segunda instância, de relação, e umas alterações na
constituição penal, adesão ao Tribunal Penal Internacional. A revisão foi a possível. Tem sede no Parlamento, que é quase
bipolarizado (PAICV e MpD), e o que se conseguiu foi uma negociação. Houve cedências de parte a parte.

- E as alterações aos poderes presidenciais?

Essa é uma questão relevante em que os dois partidos chegaram a um consenso. Era uma exigência antiga do PAICV, a ideia
de alargar um pouco os poderes presidenciais, como a exoneração do governo ou a dissolução do Parlamento. O MpD não
defendia isso. Até então, o Presidente só poderia dissolver o Parlamento em caso de grave crise institucional que pusesse
em causa o normal funcionamento das instituições democráticas com um parecer favorável do Conselho de República.
Desapareceu esse limite e esse condicionalismo. Agora o presidente não necessita desse parecer. A Constituição, contudo,
está ainda por testar em certo tipo de situações, como o sistema de governo, apesar de estar a funcionar bem. Mas o país não
tem vivido crises políticas e as pequenas foram resolvidas a contento, o que prova que o sistema serviu. Mas ainda não
tivemos experiências de governos minoritários ou de coligação, onde talvez o sistema possa ser testado de forma mais
decisiva. Não sei se isso acontecerá nas próximas eleições (legislativas, 06 de Fevereiro de 2011, mas não está ainda
suficientemente testado.

- Cabo Verde poderia evoluir para um regime presidencialista?

Tenho muitas reservas em relação a isso. Este sistema tem provado bem. Cabo Verde não teve eleições antecipadas, todos
os governos têm cumprido os seus mandatos de cinco anos e tem havido governos com maiorias muito fortes, qualificadas
ou absolutas. Creio que é um sistema de equilíbrio que se coaduna bem com a sociedade cabo-verdiana. É melhor um
sistema de equilíbrio de repartição de poderes. São poucos os países em que o presidencialismo tem provado bem. Em
África, tem-se traduzido em experiências de poder pessoal. Em países com pouca experiência democrática, deve-se preferir
os sistemas de equilíbrio de poderes. No Níger, na Mauritânia e até em outros países mais próximos de nós, tendem a cair
para um poder pessoal do Presidente e, se não houver um mecanismo de controlo, cairá para o autoritarismo.

- Mudando de assunto. Foi o primeiro a anunciar e a confirmar publicamente a candidatura às presidenciais (ainda sem data
marcada, mas previstas para o segundo semestre de 2011). Porquê agora?

Porque me pareceu o tempo adequado. Tenho experiência política e constitucional e as presidenciais, apesar de não terem
raiz partidária, e sendo Cabo Verde um país onde o peso dos partidos é muito forte, dificilmente um candidato, por mais
qualidades que tenha, ganha eleições sem o apoio dos grandes partidos nacionais. Falei com muitas personalidade e
entendi que devia fazer o anúncio antes das legislativas para dar sinais claros de que um candidato presidencial tem de ter
condições para não ser refém de um partido político. Não pode ter apenas um endosso partidário.

- E o MpD pode vir a apoiá-lo?

Estou seguro desse apoio, pois é o resultado dos inúmeros contactos que fiz dentro do MpD. Da liderança às bases.

- Mas ainda não há um sinal claro do líder do MpD (Carlos Veiga)?

Isso é natural. É um líder histórico do partido, que esteve fora e que regressou num certo contexto. É natural que esteja a
privilegiar a conciliação do partido, o reforço da liderança, há eleições legislativas. Os partidos têm a sua lógica própria. Mas
tenho apoios alargados no MpD, a todos os níveis. Não por não haver um sinal político público do líder que não estarei seguro
desse apoio.
FIM
2 Jan 2011
LEGISLATIVAS 2011:VEJA AS LISTAS DOS PARTIDOS
Já estão prontas as listas para as legislativas 2011. Com algumas novidades e inevitáveis ressentimentos. O PAICV MPD já
apresentaram as listas completas e da UCID e do PTS  já se conhecem os cabeças de lista para os círculos onde estão
presentes.


De um a nove, a lista do PAICV por Santiago Sul é composta por: José Maria Neves; Felisberto Vieira; Janira Hopffer
Almada; Rui Semedo; António Correia e Silva, Nilda Fernandes, Afonso da Fonseca; Nuías Silva e Fernando Robalo.
Da lista da actual Legislatura, destaca-se a saída de Cristina Fontes Lima, Eduardo Monteiro e de José Maria de Pina.

Em Santiago Norte, as dúvidas foram dissipadas com a presença de José Manuel Andrade a secundar o cabeça-de-lista, José
Maria Veiga.
De destacar a “queda” de Alcídio Tavares, presidente do Conselho do Sector do PAICV em Santa Catarina, para o nono lugar na
lista, uma posição com possibilidades remotas de elegibilidade.

Para alguns analistas, este posicionamento do ex-autarca poderá estar relacionada com uma possível candidatura à edilidade
da “Cidade do Planalto”, nas Autárquicas de 2012.
Outra nota de destaque de Santiago Norte é a subida de Vanusa Cardoso para a terceira posição de uma lista onde aparece
outra mulher, Virgínia Gonçalves, em lugar elegível.

Em São Vicente, Franklin Spencer aparece na segunda posição da lista encabeçada por Filomena Martins e onde aparecem
mais duas mulheres em lugares elegíveis: Maria da Luz Monteiro (4º) e Arlinda Medina (6º).

Em Santo Antão, onde as coisas pareciam estar difíceis, tudo acabou em bem com a colocação de Carlos Delgado, no segundo
posto, logo a seguir a Armindo Maurício e à frente de Ilidio Cruz. A novidade foi a aparição de Leonesa Fortes, ao que tudo indica,
no lugar de Amadeu Oliveira, que é o mandatário da lista.

No Fogo, a proposta da estrutura Regional que apresentava André Pires e Almeida Louro como efectivos foi alterada pela
Direcção Nacional. A lista definitiva inclui todos os actuais deputados, com a entrada de Eva Ortet e Ernesto Che Guevara Silva,
depois de terem sido excluídos na proposta inicial.

Assim, a lista integra o deputado Júlio Correia, o ministro da Administração Interna, Lívio Lopes, a deputada e presidente da
Federação Nacional das Mulheres do PAICV, Joanilda Alves, a deputada Eva Ortet e o deputado Ernesto Che Guevara Silva.

No Sal, a lista não apresenta qualquer novidade: Basílio Ramos, Sara Lopes e Libéria Brito são as escolhas “naturais” do PAICV.

Nos círculos que elegem dois deputados, os cabeças-de-lista são os já anunciados: Carlos Ramos (São Nicolau); Fernando
Jorge Frederico (Maio); Aristides Lima (Boa Vista); Clóvis Silva (Brava); Arnaldo Andrade (Europa e Resto do Mundo); Sidónio
Monteiro (Américas) e Estêvão Rodrigues (África).  

MPD: “LISTA EQUILIBRADA E VENCEDORA”

Abraão Vicente e Eunice Silva são os destaques do MpD por Santiago Sul, numa lista que integra 12 mulheres.
O coordenador da Comissão Política do MpD para Santiago Sul, José Filomeno Monteiro, garante que a lista “é muito equilibrada
e vencedora”, com representação dos três concelhos e pessoas na sua maioria com menos de 35 anos.

O presidente do Partido, Carlos Veiga, encabeça a lista, secundado por José Filomeno Monteiro, seguido pelos “independentes”
Eunice Silva e Abraão Vicente - nos lugares subsequentes.

“Os independentes estão nos primeiros lugares da lista, é uma mensagem que quisemos dar à sociedade civil, e nos lugares
elegíveis temos também três mulheres: Eunice Silva, Filomena Gonçalves e Isa Soares da Costa”, realça   José Filomeno.

Em são Vicente, a lista liderada pelo vice-presidente do Partido, Jorge Santos, tem como segundo, o deputado Humberto
Cardoso. Entre os 11 efectivos, há apenas duas mulheres: Eva Caldeira Marques (independente, no 4º lugar) e Celeste Fonseca.

O antigo ministro da Cultura, António Jorge Delgado, pretende regressar ao Parlamento, onde, protagonizou alguns momentos
considerados “bombásticos”.  O ex-edil do Paul, Américo Silva, entra também na corrida, desta feita, por São Vicente.

Em Santo Antão, confirma-se o nome de Leão Lopes (independente) como o segundo da lista encabeçada por Arlindo do
Rosário (independente).
Orlanda Ferreira é a terceira da equipa, em representação do Paul; Francisco Dias aparece no quarto posto; Valter Silva está no
quinto lugar, à frente de Joel Barros (ex-edil do Porto Novo).

Em Santiago Norte, o líder Parlamentar do MpD, Fernando Elísio Freire aparece na terceira posição da lista encabeçada por
Mário Silva, logo a seguir a Austelino Tavares Correia. Dos 14 efectivos, a lista do MpD tem apenas três mulheres: Anilda
Tavares (6º); Anabela Tavares (8º); Ângela Mendes (9º).

No Fogo, o deputado Eurico Monteiro encabeça a lista, seguida do também deputado e coordenador Regional, Jorge Nogueira,
do vice-presidente daquela estrutura, Lourenço Lopes, de Maria Ascensão Sequeira e do coordenador concelhio de São Filipe,
Filipe Santos.

No Sal, a deputada Janine Lélis encabeça a lista, que integra os candidatos Daniel Évora e Ildo Rocha, como efectivos.
Nos círculos que elegem dois deputados, os cabeças-de-lista são os já anunciados: Nelson Brito (São Nicolau); José Luís
Santos (Boa Vista); Joana Rosa (Maio); David Lima Gomes (Brava); Emanuel Barbosa (Europa e Resto do Mundo) e Orlando Dias
(África).

DA UCID E DO PTS POUCO OU NADA SE SABE

O presidente da UCID, António Monteiro, e Onésimo Silveira renunciaram, na véspera da data-limite de entrega das
candidaturas, ao mandato de vereador da Câmara Municipal, cargos para os quais foram eleitos nas Autárquicas de 2008, para
poderem candidatar-se a deputados, o primeiro pela UCID, e o segundo pelo PTS, onde ocupa o primeiro lugar na lista.  
Para além de São Vicente, a UCID apresenta candidaturas em Santo Antão (José Graça), na Brava (Nelson Miranda), no Fogo
(Ulisses Centeio), em São Nicolau (Elcindo Lopes) para as Américas (Júlio César de Carvalho) e para a Europa e Resto do
Mundo (Agostinho Santos).   

Onésimo Silveira, fundador do PTS, vai encabeçar a lista por São Vicente, secundado pelo presidente, João
do Rosário, eleito no recente  III Congresso Ordinário do PTS.
Para os outros círculos, foram indigitados os seguintes cabeças-de-lista: Maria da Conceição Almeida (Santo Antão); Isabel
Neves (São Nicolau); Indira Monteiro (Sal); Maurício Brito (Boa Vista); Albertina Silva (Maio); Nilza Gomes (Santiago Norte);
Osvaldino Andrade (Santiago Sul); Henrique Cardoso (Fogo); Joceline Gonçalves (Brava) e Onésimo Silveira (São Vicente).
Fonte A NACAO
                   VIOLÊNCIA POLITICA ou SINAIS DOS TEMPOS?

A violência política  premeditada nos EUA muitas vezes é politicamente  motivado  visando os politicos que arduamente
tentam resolver os problemas da comunidade e da sociedade na maioria dos casos tem um denominador comum  que é a
facilidade da obtenção de licença de porte de armas letais por muitos desequilibrados mentais ou lunáticos que por uma ou
outra razão cometem danos fisicos e assasinatos.

Desta véz o alvo foi  o  Congressista ou a Deputada Gabrielle Giffords, uma democrata centrista que representa o oitavo
distrito político da Arizona no Congresso dos EUA, ela  é casada com o astronauta Mark Kell,  incansavelmente ela tentava
trazer prosperidade e tranquilidade a comunidade devido a sua excelente e imparcial visao política que  lhe mereceu
respeito e carinho  pelos membros dos dois partidos, ou seja democratas e republicanos, de salientar a Senhora Giffords é
uma ex Republicana e já estácumprindo o seu terceiro mandato.

Aconteceu no dia 8 de Janeiro, 2011, no Estado da Arizona, mais propriamente na cidade de Tucson em frente de um super
Mercado onde participava numa reunião pública da comunidade e  de repente e inesperavelmente um fanático ou
desequilibrado mental, desparou uma rajada de tiros, matando seis pessoas e ferindo muitas outras entre as quais  a
Deputada Gabrielle Giffords, que foi alvejado com um tiro na cabeça que milagrosamente não conseguiu tirar lhe a vida.  
Entre os seis mortos encontra se um  Juiz Federal e uma criança de nove anos.

A Arizona é um estado que faz fronteira com o México onde existe uma forte polarização politica relacionado com a
problemática da emigração que tem estado durante muito tempo a dividir esta comunidade.

O assasínio um jóvem de vinte e dois anos que tem antecedents criminais foi logo capturado e está sendo investigado pelas
autoridades competentes. O Presidente Obama condenou veemente o ocorrido classificando o como uma tragédia nacional.

Segundo alguns comentadores políticos os dirigentes Norte Americanos devem Consciêncializar dando mais atenção a
segurança pessoal fazendo diminuir as chances de ataques violentos evitando assim perdas de vidas que sempre afecta o
governo e a comunidade.  

Muitos dos representantes políticos concordaram em reforçar mais a segurança mas outros disseram que foram elegidos
pelo povo e devem estar livremente ao redor do povo.

Nos tempos de agora onde a polarização política é uma constante, o desespero económico, a facilidade de obter armas
letais e a obtenção rápida da informação, os dirigentes políticos de qualquer um partido  devem tomar mais a sério a
segurança pessoal porque a vista do que estamos presenciando algo de anoramal nisso está se aumentando e
praticamente nenhum político está isento de uma armadilha violenta especialmente sem nenhuma  protecção.  

10 Jan 2011
Joaquim Fontes
NEWS ROOM 3
MINDELO, SV – A Juventude para Democracia em São Vicente está descontente com o facto dos seus membros
não foram escolhidos para a lista do MpD naquela ilha, ao contrário do que se verificou na ilha de Santiago.
O presidente deste orgão César Fortes enviou uma carta à FORCV, publicada aqui em baixo, expressando a
sua insatisfação para o sucedido.

“Mindelo, 4 de Janeiro de 2011.
A Comissão Política da JpD
São Vicente

A ausência da representatividade da JpD – S. Vicente na lista do MPD às próximas legislativas é sinal inequívoco de que o partido
não conta com a JpD em S.Vicente para as legislativas. É facto de que no maior círculo eleitoral (Santiago sul) a JpD tem forte
representatividade, com presença em lugares claramente elegíveis e que os outros vice-presidente da JpD estejam em lugares
elegíveis nos respectivos círculos eleitorais, é ainda facto assente que o Coordenador da JpD-S. Vicente que é também um dos
Vice nem sequer integra a lista por S. Vicente.

Para nós, isso reflecte a falta de um critério na configuração das listas e na alocação de lugares na lista à JpD, particularmente à
estrutura directiva da JpD- S.Vicente. Estranhamos a dualidade do princípio seguido na concepção de listas que culminou com a
não representação da JpD – SV na lista do partido por S.Vicente.
É-nos incompreensível a total ignorância para com a JpD neste processo, pois em nenhum momento o responsável da JpD local
foi abordado sobre o assunto e nem sequer mereceu à data qualquer observação ainda que injustificável sobre ausência na lista
de dirigentes locais da JpD.
Contrariamente à ideia avançada inicialmente pela estrutura nacional do partido sustentada no princípio de abertura à renovação
e à participação da juventude partidária no processo eleitoral, em S.Vicente tal princípio não foi respeitado e nem levado em linha
de conta.
Se os outros vice-presidentes integram as listas nos seus círculos eleitorais, é premente questionar o porquê da ausência do
vice-presidente na lista por S.Vicente.

Reflecte o deficit de respeito e consideração para com a juventude para a democracia (JpD) em São Vicente. E o cúmulo foi a
exclusão por completo do líder da JpD (César Fortes) das listas. Se abrimos espaço para outros porque não para os de dentro
de casa? Como vamos motivar os nossos jovens agora? Eles que trabalham para o partido e na hora de dar-lhes um pouco de
confiança e oportunidade isto lhes é negado? É um absurdo o que aconteceu!

Nós acreditávamos que realmente o MPD estava a dar sinais de abertura à renovação e a uma mudança de atitude, mas parece
que alguns continuam com a mania de "eu posso, quero e mando" arranjando lugares para amigos que nunca trabalharam para
o partido e agora caem de paraquedas nas listas. Jovens, é hora de aprender esta lição: Eles realmente não querem saber dos
jovens.
Aqui em São Vicente há um grupo dentro do partido que quando quer tomar decisões, que sabe que vão beneficiar apenas à
esse grupinho que se auto intitula “A Cúpula” que para nós deveria ser chamado de “Os Amigos”, esquecem que existe um
estatuto do partido e ignoram os seus militantes.
A JpD – S.Vicente tem competência, trabalho e experiência eleitoral que justificaria a sua inclusão na lista. A não ser que em S.
Vicente a estrutura regional do partido não pretende contar com a JpD na campanha eleitoral ou considera que conseguirá os
objectivos sem qualquer apoio e envolvimento da juventude partidária. Se esta for a razão o futuro tratará de nos mostrar o
resultado disso.

Face a isso, avaliamos negativamente a postura da estrutura nacional da JpD que em nenhum momento interveio junto da
estrutura nacional do partido no sentido de questionar os motivos que estão na base da exclusão da participação da JpD–S.
Vicente na lista do MpD por S.Vicente.

Estranhamos o comportamento dos responsáveis do partido na ilha que, não obstante estarem a par do empreendimento e o
trabalho que tem sido levado a cabo pela JpD na ilha que mesmo não dispondo de meios tem desenvolvido acções visando
envolver os jovens nas actividades partidárias.

Entretanto, continuaremos a trabalhar em prol dos jovens e do seu desenvolvimento e enquadramento socio-económico porque
o nosso trabalho é movido pelos interesses do bem-estar dos nossos jovens que auspiciam melhores dias.

Para nós, é uma autêntica contradição a não inclusão de jovens na lista do MpD por S.Vicente, quando se sabe que a maioria da
população da ilha é jovem e são os jovens que enfrentam os maiores problemas sociais e económicos na ilha.

Como os jovens poderão se sentir representados se o próprio líder da JpD não integra a lista por S.Vicente! Ter-se-á alguma
moral para motivar o engajamento e a motivação dos jovens neste cenário de exclusão da JpD local na lista?!

O lema "Mestê Muda" é bom mas, primeiro deve ser aplicado dentro do partido. Alguns líderes dentro do MPD “MESTÊ MUDÁ",
isso sim!”
25 Jan 2011

                                                      CABO VERDE
                                               TAXA DE DOENTES
                                                            OU
                                  EXPLORAÇÃO MEDICAL SOCIALISTA

Domingo 23, 2011,  através da rádio Globo no programa de  Djozinha, Caminho Pa Cabo Verde, num noticiário das 7 horas,  
directamente gravado da RTC de  Cabo Verde, relacionada com a campanha política para as próximas eleições legislativas
em Cabo Verde que está a grande vapor, e está sendo seguido de perto e com muito interesse em quase todo mundo, tendo
em vista este singular experimento democrático Cabo-verdiano que continua a ser exémplo para os outros paises Africanos e
nao só.

Desta véz estão disputando estas eleições cinco partidos polítcos que esperam dar  suas contribuições no processo
democrático da jovem Republica e consequentemente mudar e melhorar um pouco mais as coisas.

Estes partidos politicos, estão escalonados assim: PAICV, MPD, UCID, PTS, e PSD, ambos lutando para uma qualificação
honrosa que é de ganhar e governar para os próximos anos.  

Os três primeiros partidos, o PAICV, MPD e o UCID, todos com assentos parlamentares estão engrenados numa luta política
sofisticada e mesmo renhida, cada um prognosticando victória.

Os últimos dois partidos,   o  PTS e o PSD,  também estão com esperanças de fazer  um bom campeonato politico, trazendo
ou fazendo algumas declarações quase radicais a ponto de pedir mais autonomia para a ilha do Porto Grande ou seja São
Vicente.
Sem dúvida nenhuma estas eleições do dia 6 de Fevereiro, prometem ser das mais importantes de sempre.

Tendo em vista o que está em jogo e as importantes opções políticas e económicas para  o desenvolvimento do pais que
está  atravessando um periodo de muita cautela económica e as possíveis  consequências político partidárias que dela pode
haver, como por exêmplo, se o MPD não ganhar, o xadrez político da equipa vai ficar bastante alterada e mesmo fragilidada  
em alguns aspectos.

Um cenário quase idéntico também para a equipa do PAICV, que se perder, vai ter que  contentar com uma possível minoria
fraca alterando assim grandemente o esquema do partido.

Nas últimas declarações do fim de semana pelos dirigente dos três partidos os lideres disseram:  Carlos Veiga, disse que  se
for eleito, vai aumentar a quantia mensal da ajuda social para os necessitados,  também falou da falta de água e luz nalgumas
localidades que ainda estão com a falta deste utensílio necessário.

Por outro lado, Jose Maria Neves, disse  que este ano o PAICV, está com boas perspectivas de vencer em Santo Antao, a ilha
das montanhas, sublinhado as obras ou infraestruturas que o seu governo e seu partido fez e vai continuar a fazer para o
desenvolvimento desta ilha.

Por fim falou o presidente da UCID, Antonio Delgado Monteiro, em Sao Vicente,  e aproveitou das jogadas dos dois grandes
partidos para fazer  um ataque relámpago bem planeado, dizendo em Chã de Alegrin, São Vicente que o UCID vai conseguir
ganhar mais deputados e que ele vai pressionar o governo para fazer muito mais, mas  antes de terminar a sua declaração,
disparou uma crítica que pode atingir prejudicialmente nas urnas o PAICV ou o MPD, disse que devem mudar  algumas leis, e  
disse especificamente que em Cabo Verde para uma pessoa visitar um doente no hospital  a pessoa tem que pagar uma
quota  em dinheiro para entrar no hospital e visitar  o doente; ora isso  segundo ele disse,  em nenhuma parte do  mundo
acontece tal prática e que se for eleito ou ganhar  assentos no parlamento, vai fazer tudo para mudar  esta provisão prejudicial
a comunidade, no seu entender.

Segundo as opiniões de muitas pessoas da comunidade isso é uma prática prejudicial e muito rara mesmo  tendo em conta
o fáctor económico da família ou dum amigo que pode não ter condições para pagar a taxa de visita.

Seria bom que esta preocupação comunitária seja revisada a fim de facilitar a relação de visita no hospital e não penalizando a
condição prévia de saúde duma pessoa, a bem da comunidade.

Neste jogo político e democrático que estamos vendo a comunidade sempre tem algo a dizer,   não deve ser visto  
partidariamente, votar é um exercício importante da consciência e deve ser feito livremente, tendo em vista sempre o melhor
para a comunidade.
Os lideres políticos da comunidade, devem saber  que perder ou ganhar  também é um processo democrático,  há que saber
ganhar  ou  perder, e aceitar naturalmente este paradoxo constante e político a bem do Povo.

Joaquim Fontes.
www.topicos123.com
Randolph USA
As opiniões ou comentários inseridos aqui não tem ou não estão relacionados com a filosofia do
www.topicos123.com que é um portal da comunidade e para comunidade, sem nenhuma pretensão
política ou religiosa.  Todos serão bem vindos, engrandecendo cada vez mais o espírito comunitário
da nossa comunidade.  













13 Junho 2011
                       DESPEDIDA PRESIDENTE PEDRO PIRES

Presidente de um país  é ser um representante para todo o Povo, teoricamente falando.
Na prática ou no desempenho da sua função é difícil separar a sua ideologia partidária para ser um representante totalmente
apartidário.  Entretanto a sua avaliação, deve ser feita tendo em conta importantes etapas da sua vida que contribuiram
decididamente para o desenvolvimento do seu país.

O cargo de Presidente da República, deve ser respeitado por todos porque representa a todos, tem como um único fim, proteger o
interesse nacional dentro e fora  do país,  é um símbolo máximo da nação e representa a imagem e projeção total do seu Povo.
Pedro Pires, Presidente de Cabo Verde, serviu dois mandatos dentro de uma democracia quase singular africana, nao se pode dizer
que tudo correu bem durante todo este periodo mas, analizando a sua performance global, primeiro como homem e depois como
um político nao se corre o risco de afirmar que o seu desenpenho nao foi positivo.

Pedro Pires, foi um verdadeiro combatente para a liberdade em todas  as vertentes,  isso dignifica a todos de uma maneira ou de
outra.  
No seu discurso final que ele disse  “não é de despedida” no Shaws Center em Brockton Massachusetts, onde estavam presentes
alguns dignatários políticos dos EUA,  inclusive o muito conhecido Frank Barney, um grande amigo de Cabo Verde,  Sr. Pires, falou
na importância da educação e trabalho, dizendo que os jovens formados, devem empenhar cada vez mais a fim de poderem
competir  no mercado nacional e internacional da alta tecnologia e só assim Cabo Verde, vai ser quase totalmente totalmente
independente.
Cabe ao sucessor do Sr. Pedro Pires, responder as exigências e necessidades do Povo Cabo-verdiano neste mundo global e
também virtual que, está ficando cada vez mais mais bem definido  pelos ventos de mudança que está soprando na África e não só
a fim de ter a coragem e sabedoria de poder continuar a levar o nome de Cabo Verde cada véz mais além.   
Quinquim  
            www.topicos123.com

Randolph MA USA
27Julho 2011








                                        QUEM MATOU AMILCAR CABRAL
                                 CONSEQUÊNCIA DE UMA DECLARAÇÃO

O Primeiro Ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, disse que Amílcar Cabral foi morto por dirigentes do
PAIGC. Uma declaração para muitos politicamente muito carregada.

Qualquer declaração ou afirmação política pode ser analizado de diferentes maneiras mas, quando ela é feita
num contexto, num tempo, numa perspectiva altamente polarizante e explosiva, pode ser mesmo preocupante
para toda uma comunidade.

O contexto desta declaração, ponha em causa talvez o maior crime politico, ocorrido entre duas nações ou seja,
Guiné e Cabo Verde, e foi o assasinato de Amilcar Cabral, um politico sem margem para dúvida Universal.

O tempo desta declaração aparentemente, foi escolhido para alertar consciências ou mesmo para desequilibrar
fações politicamente envolvidas no processo das eleições presidenciais que estão em pleno vapor.

Finalmente, a perspectiva desta declaração que eventualmente, causaria uma polémica politica tanto nacional
como internacional que possivelmente nao foi calculada.

Seja como for,  agora as verdadeiras consequências desta declaração ainda estão por acontecer.

Se a intenção desta declaração do Sr. Jose Maria Neves, P. M. de Cabo Verde, fosse bem intencionada, entao
uma coisa é certa, ele mesmo, deve providenciar oportunamente uma investigação internacional científica e
imparcial a fim de descobrir verdadeiramente os culpados deste horrivel crime, que é a morte de Cabral que,
ainda continua atormentando consciências  dos Cabo-verdianos.

Quinquim              
Randolph MA USA
www.topicos123.com
Nov 10, 2011
EUA - Eleita Direcção da CVAMA (Cape Verdean-American Media Association)
Por Valdir Alves

Após uma longa caminhada de mais de dois anos, CVAMA (Cape Verdean-American Media Association), tem, finalmente, sua direcção.

O corpo directivo foi eleito no passado sábado dia 29, na Associação Caboverdiana de Brockton.

Para Assembleia Geral foram eleitos:

AGNELO A. MONTROND – Presidente
CARLOS TAVARES – Vice-Presidente
JOVINO PERES – Secretário

Para Direcção foram eleitos:

CARLOS DE BRITO - Presidente
VASCO PIRES – Vice-Presidente
CARLOS SPINOLA - Secretário
JOE MIRANDA – Tesoureiro

Os membros da Direcção e da Assmbleia Geral foram eleitos após a apresentação de uma plataforma eleitoral dos resepctivos
candidatos.

Até o momento das eleições estavam ainda vagos os cargos de Vice-Presidente da Assembleia Geral, o de secretário do mesmo
órgão, o de Vice Presidente da Direcção por ausência forçada do candidato que acabou por ser eleito, o de Tesoureiro da Direcção que
acabaram por ser propostos e aceites pela maioria dos votos.

A disputa mais renhida verificou-se entre os dois candidatos ao cargo de Presidente da Direcção tendo Carlos Brito acolhido 12 votos  
contra os 6 de Pedro Chantre, apesar de uma estratégia  bem ambiciosa deste último.

O acto eleitoral contou com as intervenções do Cônsul Geral de Cabo Verde e da assessora cultural Gunga Tolentino Tavares e ainda
do Presidente do CA da RTC (Rádio e Televisão de Cabo Verde) Horacio Semedo e ainda do Director da Televisão de Cabo Verde
(TCV) Álvaro Ludgero Andrade.

A Presença do Cônsul justifica-se pelo facto de ser a entidade que logo após ter sido indigitado ao cargo, na primeira das suas
actividades na comunidade, optou por se reunir com os media caboverdianos nesta região, para lhes propôr a criação de uma
Associação.  

Uma proposta que, diga-se de passagem, encontrou obstáculos junto de uma minoria que não via com bons olhos a intervenção do
consulado neste campo.

Hoje, chega-se à conclusão que se a associação dos media é uma realidade deve-se à esta iniciativa-sugestão do Consulado que, a
seu tempo, se afastou deixando a todos aqueles que se interessam pelo fenómeno da comunicação social, discutir e decidir o futuro
desta classe.

Após o ponta-pé de saída de 19 de Setembro de 2009, nos estúdios BCA (Brockton Community Acess), foi constiuído o Núcleo
Dinamizador que se reuniu, com frequência, para discutir e aprovar os estatutos da CVAMA.

Após isso constituiu-se uma Comissão Instaladora/Eleitoral, que se encarregou de organizar o acto eleitoral que culminou no passado
dia 29 de outubro.

Uma outra presença que se justificava era a dos dirigentes da RTC que há pouco mais de um ano tinha-se reunido na sede da CACD
(Cape Verdean American Community Development) em Pawtucket, com a finalidade de auscultar as preocupações da classe e
assinar com o referido núcleo um Memorandum que consistia basicamente no intercâmbio entre as duas partes.


Sol ta bai lua ta ben

É baseado neste espírito de cooperação e dos objectivos bem definidos da RTC no sentido de servir a diáspora, que Horácio Semedo,
Presidente do CA dessa institutição, citou um colega de que essa relacção tinha de funcionar nos dois sentidos e não na métafora de
que o sol nasce sempre no mesmo sítio e se põe invariavelmente no sentido oposto.

Horácio Semedo prometeu que essa relação funcionaria no sentido de “Sol ta bai, Lua ta ben”.

Aquele dirigente apresentou um quadro evolutivo completo da situação da Rádio e Televisão de Cabo Verde, desde a sua insfra-
estruturação física à adopção de novas tecnolgias que conduzem, nomeadamente, à digitalização, expansão de horas de emissão  e
cobertura de uma maior área territorial do arquipélago.

Já o Director da TCV, Álvaro Andrade explicou porquê e como funcionam os subsídios do Estado, aos órgãos da comunicação social, o
que não difere daquilo que se passa em outros países, nomeadamente, Portugal, França e Estados Unidos e que o mecanismo  não
se tratava de uma “caboverdura”.

Valdir Alves falando em nome do Núcleo Dinamizador da CVAMA apresentou um balanço completo dos trabalhos levados a cabo e das
relações estabelecidas com a delegação da RTC, concluido que se registou um compasso de espera para que a a CVAMA elegesse
sua direcção.

Registou-se ao longo desse tempo uma troca de e-mails entre alguns elementos roçando um tom, um tanto ou quanto ríspido, o que
foi de certo modo, o aspecto mais negativo entre o muito de positivo que se conseguiu como;

-a forma sem preconceitos e frontal com que os elementos discutem a situação da classe

-o facto de os membros passarem a se conhecer melhor

-o espírito de entre-ajuda, fundamental num processo de comunicação social, sobretudo em condições débeis que afectam o
desempenho das funções de todos os media comunitários

Presente igualmente ao acto, o Padre José Gomes realçou a importância da comunicação social tendo apelado à preservação dos
valores caboverdianos na diáspora.

O ponto da ordem do dia no que tange ao debate sobre o jornal online, acabou por ser adiado para uma próxima oportunidade, devido
ao escasso tempo de que o programa dispunha.
24 Abril 2013
                                 BOSTON STRONG AMERICA THE BEAUTIFUL
O título deste artigo, refere se a dois acontecimentos diametralmente opostos, relacionados com a histórica cidade de Boston, provando
que a sua comunidade continua bem forte e coesa, seguindo  o  seu normal percurso entre as cidades dos USA.

Todos nós sofremos nos últimos  dias com os acontecimentos ocorridos em Boston e nas outras  cidades ou localidades circunvizinhas
que, reflectiu em todo  USA e no Mundo inteiro.

O que aconteceu, como foi definido pelas autoridades oficiais dos USA, foi mesmo um atentado terrorista que causou perdas de vidas e
muitos feridos, perpetuado por dois jovens que este  pais acolheu abertamente e sem qualquer impedimento  que, infelizmente, tinham
ideias malignas e pre-meditadas, talvés mesmo diabolicas - se assim se pode chamar - de tal maneira que conseguiram  mesmo
extremecer toda  comunidade mas que não conseguiram enfraquecer o espírito dos Americanos e da sua comunidade.

No dia da Maratona de Boston, praticamente o Mundo parou, vendo e esperando o desenrrolar destes inesperados eventos que colocou a
prova a vontade das gentes   e as autoridades deste pais que em menos de uma semana conseguiram reverter a situação, trazendo
serenidade, segurança, e fraternidade  entre todos e por cima de tudo solidariedade para com as familias dos que perderam a vida e
aquele que ficaram feridos.

A solidariedade humana não tem fronteiras, prova disso, foi a colaboração das pessoas de Boston e arredores que num instante de
incerteza,  uniram num só sentido de entre ajuda mútua com um único objéctivo de ajudar e aliviar o sofrimento do seu próximo.

Os USA, não é um país qualquer, ou um país de por acaso; analizando a sua história  durante os tempos e a sua formação, pode se
perceber que é uma nação singular entre todas as nações, que forjou a sua identidade própria com gentes de lugares ou paragens
diferentes e que conseguiu sobressair entre os países, ficando assim como um bastião da humanidade que sempe acolheu e acolhe os
emigrantes… Dificilmente se pode considerar isso como um acaso, porque até ainda não tem um paralelo.  Para muitos estudiosos e
muitos relgiosos, o objectivo foi deliniado e pré-programado por alguma força   natural ou quem sabe mesmo por um Criador.

Durante uma visita do Papa João Paulo VI  aos USA, - se a memória esta certa - aquele Prelado, qualificou ou chamou os USA de
AMERICA THE BEAUTIFUL, um nome que verdadeiramente encaixa e que tem seu verdadeiro significado num contexto mais allargando e
com a definição propria.

Em muitos aspéctos  estamos, atravessando uma época extraordinaria  onde a ciência, pretende explicar tudo, relativamente falando, mas  
a capacidade humana é limidada em muitas dimensões,   
o Homem, conseguiu desvendar os segredos dos átomos de que tudo se produz  e até nós mesmos, estão explorando este  misterioso
mundo das particulas sub-atómicas em que muitos cientistas estão  procurando  ver o infinito e desvendar como tudo aconteceu, estao
tentando explorar para decifrar a mais pequena  e infintíssima  substancia e, até já arranjaram o nome da Particula de Deus ou o nome
cientifico de particula  Higgs Boson.  O pior é que está ciência da criação do Universo, é tão complicada que muitos dizem que tudo
originou do nada e, que do nada se criou tudo,... o que dá mesmo para pensar...
A exploração da Particula de Deus, mostra a incapacidade ou a limitação do Homem em explicar cientificamente o inexplicável, chegar a
desvendar  a divindade da Natureza ou Universo a sua beleza e o seu caos, fica para alem da capacidade humana porque o Criador
transcente qualquer raciocinio.

Voltando aos USA, a Democracia, no dizer dum Padre Portugues,  cheira mal mas, ainda é o melhor sistema existente.   A injenuidade ou
bondade do Povo Americano, tem o seu limite,  a tranquilidade na comunidade, deve ser sempre garantida e salvaguardada; a questao do
direito individual, deve ser sempre  parametro da Lei mas, para ter segurança, há que usar meios apropriados para garantir –la.  

Um exémplo disso, é a segurança nos aeroportos, antes do 11 de Setembro, tudo era  simples e garantida mas depois do 11 de
Setembro, mudou completamente e adoptarem medidas apropriadas  para garantir  a estabilidade e a segurança das pessoas nos
airports e avioes, evitando  atentados terroristas.

Parece que chegou o momento de America fazer um pouco mais para garantir todos seus filhos e filhas mais seguridade em os lugares
publicos,  lugares da comunidade,  tais como, grandes Centros Comerciais, Escolas, Recintos Desportivos e Sociais e ate nas ruas etc;  
por exémplo sera crime revistar bolsas suspeitosas que as pessoas levam nas  costas ou nas mãos que podem conter artifactos
explosivos e porque nao usar  tecnologias certa para isso, pode custar mais mas,  em vista de outros acontecimentos terroristas que
causaram grandes perdas de vida e material o preco é irrelevante. Ao fim e ao cabo as vidas das pessoas não tem preço.

A bem da comunidade, da America e do Mundo.

Joaquim Fontes
21 Abril 2013
USA