Cabo Verde
Encontro
You need Java to see this applet.
                                    DIREITO DE INFORMAR

 O direito à informação é um dos direitos que deve ser cada vez   mais  garantido
 e  facilitado.

 Desde a concepção natural ou aparecimento do  Ser Humano na  Terra, a
 informação é determinante no processo de desenvolvimento do que
chamamos vida; por isso quanto mais ela é difundida melhor ainda.

Quando uma pessoa é informada, a informação transformou-se em
conhecimento e isso facilita desenvolvimento de  qualquer  projecto que se pode
ter em vista.

Uma informação fidedigna e pública, deve ser imparcial,  facilitada, e  ter sempre
a sua fonte mencionada. Mencionar a  fonte exige algum critério de como divulgar
e proteger  a segurança, e o direito do autor.

Num estado democrático ou com uma democracia progressiva,  a informação
flutua livremente,  mas,  pelo  contrário, num país com um regime totalitário e
onde o governo mantém a censura sobre o fluxo circulatório dos jornais,  da rádio
ou televisão e outros meios de comunicação a informação fica deturpada ou
reprimida.

Não se deve restringir a ninguém o direito ao conhecimento verídico e científico
da informação.

Na época actual com a globalização e o aparecimento da internet a informação
é     transmitida instantaneamente dum lugar para outro,  possibilitando ao  
recipiente inteirar do que está acontecendo  e proporcionando  ao interessado  
selecionar ou tomar decisão  na altura própria.

No entanto, por mais que o fluxo de informação seja livre,  haverá sempre a
problemática do controle ou de como expôr ao público certos temas, em  textos,  
gráficos, vídeos, sons etc.  Neste aspecto,  há que ter em conta certas camadas
sociais e proteger aos mais vulnerados.  Expôr tudo na internet ou outras vias de
comunicação pode ser  contraproducente,  por exemplo,  mostrar  pornografia
livremente não vai beneficiar uma pessoa de menos idade.  
Um outro exemplo, é dar a um criminoso informação   livre de como construir uma
bomba de destruição em massa pode ser desastroso. Há que ter sempre um
consenso de como apresentar informação sem contudo prejudicar a sua difusão e
integridade.
Quinquim
Nov 22,
2008
   O lema do Topicos123 é manter a comunidade informada dentro dos
parametros  filosóficos  estabelecidos  desde a sua criação, mas  para isso
todos tem que colaborar com esta  ideia,  contribuindo  na medida do possivel,
quer culturalmente ou socialmente.
O www.topicos123.com  é um portal da comunidade e para comunidade,  está
totalmente isenta da cor politica ou de qualquer partido politico - religioso.
O objectivo principal é unir cada vez mais as comunidades lusofonas
especialmente a Caboverdiana, para que possa ter uma união mais forte.  
                                                  EDITORIAL        
                                   APELO DUMA COMUNIDADE

As vezes   não damos conta de certas prioridades que podem elevar a nós
mesmos e  a nossa comunidade.  

Nunca é tarde para ponderar ou reflectir e saber que  podemos   fazer algo
mais e melhor  a fim de  que a nossa comunidade  seja  mais progressiva,  
coesa,   diversificada,   exemplar   onde as  nossas  familias  podem  viver e
conviver harmoniosamente num espiríto de mútua cooperação.
A Freguesia de Santa Catarina na Ilha do Fogo,  tem uma comunidade
diversificada  e   cultural,   interligada de muitas maneiras,  como bem
sabemos.  Isso é  um fáctor importante para o desenvolvimento em qualquer
sociedade.  

Esta Freguesia   tem uma comunidade sem muitos recursos,  pode se mesmo
dizer muito pobre mas com muitas potencialidades para crescer e desenvolver.  
Para se  poder ter desenvolvimento há que ter  espirito de iniciativa,  
cooperação,   ponderação,  educação e  confiança.  

Podemos concordar em discordar   mas   ao mesmo tempo,  permanecer no  
objéctivo  de uma cooperação desinteressada   mútua  entre todos  no intuíto  
de melhorar o nível de vida  da  nossa comunidade e dos menos afortunados.

Durante vários anos os filhos e filhas  da Freguesia de Santa Catarina viram na
emigração uma maneira de melhorar  a vida  sem  contudo esquecer as suas
origens.  

Muitos por alguns motivos não souberam  ou não estão a saber de como
participar  ou contribuir no desenvolvimento da mesma   talvés não é  falta de
vontade mas sim sensibilização.
A diáspora Santacatrinense  é fáctor fundamental, ela   tem um papel  
importante - como todos nós sabemos - a desenpenhar no desenvolvimento do
nosso Concelho.

Devemos consciencializar mais e arranjar  um pouco de tempo e espaço para
procurar unir a nossa comunidade num  lema comum e sem quaisquer
pertenção política ou religiosa,   fazer o nosso máximo para ajudar os menos
desfavorecidos e  promissores para que a nossa sociedade  seja mais
progressiva e exemplar.  

Em qualquer empreendimento uma boa organização é essencial para um bom
sucesso.  Para se ter uma boa organização,  a educação,  a informação,  a
cooperação e ética, são parámetros a seguir.

Podemos ou devemos criar uma lista dos Amigos e Amigas da Freguesia de
Santa Catarina, Fogo, para servir de um caderno de informação onde todo/as
podem colocar seus nomes e contáctos a fim de servir como um “data base”
base de dados  onde podemos saber mais da nossa comunidade e organizar
se melhor.

O mundo está ficando cada vem mais globalizado,  estamos atravessando uma
época onde a informação está sendo praticamente instantânea, ela é a chave
do desenvolvimento,  portanto seria de muita importancia se todos
colaborassem neste objectivo comum,  enviando   vosso contacto, nome e
endereço, quer via e-mail, pelo telephone ou por intermedio de um amigo ou
uma amiga para santacatarinafogo@hotmail.com ou recado123@hotmail.com  
www.topicos123.com ou por telefone 781 986 1089
Sinceramente:
Joaquim Fontes
“Quinquim”
                                                                                                                                                                          
 
COMENTARIO

name = Alcides Veiga
email = www.veigaal@hotmail.com
phone = 774 360 2564
comments = Quimquim concordo plenamente.unir a nossa gente e organizar a
nossa comunidade
.
&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&
name = Claudio Veiga
email = cveiga2@hotmail.com
phone = (617) 922 2131
comments = O objectivo perseguido e o espirito de engajamento do seu promotor
(Quinquim) são de se louvar; todavia, não será tarefa fácil fazer engajar os
santacatarinenses num tal projecto sem um trabalho de sensibilização e,
sobretudo, de esclarecimento detalhado do que se quer. Um ponto inportante a
levar em conta será o de separar uma tal organização de qualquer carácter ou
aprveitamento politico...

               COMUNICAÇÃO SOCIAL x EDUCAÇÃO ELEMENTAR

Em qualquer sociedade  quando a informação circula  livremente é sinónimo da
democracia; quando isto   aconteça, podemos dizer que a comunidade fica
beneficiada,  mas quando a informação é deturpada ou impedida, então a
sociedade retroceda ou fica confundida.  
Tudo isto  tem a ver com uma reportagem que a Rádio Televisão de Cabo Verde,  
RTC,  fez há bem pouco tempo, chamado Repórter do Dia, que é gravado e
transmitido semanalmente para o país e todo o mundo.
Na sua última edição,  o Reporter do Dia, escolheu como nome de um programa
“Péssimas condições na escola de Santa Catarina, na ilha do Fogo”.

A equipa deste programa e da RTC está de parabéns, por expôr a crua realidade
sobre  o estado a que se encontram  algumas escolas da freguesia de Santa
Catarina em Cova Figueira, Cabo  Verde.

Neste vídeo-programa, falaram professores e alunos sobre o mau aspecto
ambiental escolar e as precárias acomodações, - se assim se pode chamar - do
edificio escolar onde passam horas de ensino e trabalho todos os dias.

É de lamentar mesmo sobre as condições péssimas e perigosas a que essas
crianças e professore/as são obrigado/as a passar todos os dias durante o ano
escolar.  As condições de higiene  nauseoso como mau cheiro, vindo dum aprisco
perto da mesma escola, a falta de latrina ou casa de banho, o mau estado dos
apetrechos,  são condições nefastas que dificultam a aprendisagem   podem  
originar ou causar doenças ou outras anomalias de saúde.

Para se ter uma aprendisagem saudável em qualquer estabelecimento de
ensino,  há que ter pelo menos o mínimo necessário para este fim. As
autoridades locais desta localidade já deviam ou já devem ter informado o
Ministério da Educação, e se não fizeram, deviam fazer.

É mesmo uma vergonha para o Ministério da Educação, se por acaso tiver
conhecimento disso antes, deixar funcionar um estabelecimento de ensino nessa
condição tal como esta escola primária em Cova Figueira.
Segundo informações de boa fonte, esta mesma escola em Cova Figueira, que a
alias, é a primeira escola official da freguesia de Santa Catarina já tinha sido
encerrada mas foi reaberta ainda com piores condições sanitárias.
Na maioria dos paises dito democraticos ou em vias de desenvolvimento,  um
caso assim, seria investigado ou até mesmo levado ao tribunal por contribuir ou
arriscar a saúde fisica e mental da pessoa.

Ora, não devemos  ter um peso e duas medidas, sendo Cabo Verde um país com
alto nivel de escolaridade, com uma Universidade própria, e um país de
desenvolvimento médio   que se calhar, tem mais descendentes   na diáspora do
que no próprio país, quando ouvimos ou presenciamos casos dessa natureza,
temos que reagir de uma maneira ou outra, porque não reagir, estamos
contribuindo para a negatividade e desigualdade na nossa sociedade.

O link do referido programa da RTC pode ser acessado ou clicando
VISITA A
ESCOLA
  Esperamos que este video programa não seja retirado facilmente
contribuindo assim para o fluxo livre da informação e a incentivacção popular.
Quinquim
www.topicos123.com
Randolph USA
Fev 26, 2010
EDITORIAL
29 Junho 2012
        CONCELHO SANTA CATARINA FOGO CABO VERDE E SEU FUTURO

Nesta grande espectativa que se desponta para o concelho de Santa Catarina,
na ilha do Fogo, em Cabo Verde, e  nas vésperas  destas grandes eleções
autarquicas que, podem positivamente transformar profundamente as aspirações
e o nível de vida da sua população tudo leva a crer que os concorrentes vão
posicionar, aguardar e aceitar o desfecho final,concordando com a vontade
popular nas urnas.

Sem dúvida nenhuma uma grande onda democrática está invadindo estas
paragens – Freguesia de Santa Catarina - com comíssios populares e
optimismos nunca igual visto como foi em Châ das Caldeiras, uma localidade
importantíssimo dentro desta freguesia com condicoes humanas e naturais  que
podem ajudar,   arrancar e acelerar o desenvolvimento deste concelho e de toda
a ilha em geral.

A descentralização ou o regrupamento da ilha do Fogo, deve ser encarado
dentro de uma dinámica vertent, tendo em vista as potencialidades de cada
localidade e não ficar sujeito e dependente  do outro como sempre aconteceu no
caso da freguesia de Santa Catarina em relação ao concelho de São Filipe para
um melhor desenvolvimento económico global de toda a ilha, criando estruturas
benéficas próprias que na maioria dos casos resulta economicamente em
beneficios para toda comunidade.

A consciência popular desta freguesia,  apesar de ter estado por muito tempo
submetido a fortes pressões políticas  e outros constragimentos, tem estado
consciencializando principalmente entre os jovens  que estão posicionando de
uma maneira moderna, procurando na educação uma base solida de competir,
vencer e transpor obstáculos criando bases para um desenvolvimento
harmonioso, deixando para trás velhos paradigmas sociais  implementando
costumes modernos e uma maneira melhor de relacionamento entre todos.

O que está em jogo nestas eleições,  é o futuro deste concelho que tem estado
praticamente estagnado de diversas maneiras.

Independentemente da cor politica a realidade não pode escapar a uma análise
referente do que passou em quase uma década onde muito mais podia ter sido
realizado implementando uma visão política próspera e ambiciosa entre todos os
Santacatarinenses .

O factor determinante nestas eleições, está nos jovens que estão fazendo um
esforço ou um trabalho dinámico em pról da democracia e isto nunca é demais
salientar porque sao ele/as os promotores da continuação e du desenvolvimento
sócio economico comunitário.

A escolha está nos eleitores,  escolher uma continuação deficitária ou eleger
uma mudança com perspectivas e possibilidades de fazer melhor e mais mas,
seja qual for o desfecho final os Santacatarinenses, devem apostar mais em si
mesmos e esperar menos de promessas fiticias, explorando mais a capacidade
de cada um dentro da nossa comunidade, deixando de lado emoções políticas
negativas passageiras que na maioria dos casos, trazem dissabores e que de
nada  beneficia a comunidade.

Joaquim Fontes
www.topicos123.com
Randolph USA
June 29, 2012
10 Setembro 2013            
                                  
COMENTÁRIO PARA COMUNIDADE

O séctor privado numa comunidade, é a base principal para desenvolvimento;
sem ele nao pode haver progresso numa sociedade livre e progressista.
Procurar ou causar constragimentos ou impedimentos aos empresários numa
comunidade que se quer sobressair não vai ao encontro com as regras
democráticas de qualquer governação. Camuflar debaixo da burocracia com
pretesto de seguir regras ou leis, vai mesmo em detrimento do progresso e nao
vai ajudar o avanço social e economico sustentavel que se pretende dentro da
comunidade.
Tudo deve ser feito para que haja uma ponte transitável que permite uma
passagem livre entre as partes envolvidas, facilitando assim um  melhor dialogo
que a todos pode beneficiar.
www.topicos123.com
27 Set 2013
                                             EDITORIAL

Numa democracia, o séctor privado eh mesmo reverenciado e referenciado, tentar
condicona-lá com leis que podem não beneficiar a comunidade, vai  contra os
princípios da liberdade da copetição económica e social da mesma.
Nesta carta escaneada ou copiada da Câmara Municipal de Santa Catarina, Fogo,
Cabo Verde referenciada C/C Policia Nacional N. 385 / CMSCF/2012, com a data de
22 de Novembro 2012,  dirigida ao Sr. Manuel Socorro Andrade, e a todos os
proprietaries e exploradores de discotecas no Concelho de Santa Catarina,
proibindo oficialmente estes pequenos empresários de fazerem seus negocios por
tres dias 23, 24, e 25 de Novembro a partir das 22H00 até as 03H00 do dia seguinte
nao coaduna   dentro dos principios democráticos que estabelece o direito de uma
competição economica livre e saudável.
Se houvesse razões graves de segurança dentro da  comunidade, esta  lei
óbviamente seria aceitável mas, tentar  impedir ou condicionar a comunidade de
celebrar tradicionalmente uma festa com raizes culturais finkados no passado e
presente e, visar as pessoas, vai além das normas  e um bom princípio de uma boa
governação.
A Câmara Municipal, deve esclarecer ou deliberar  publicamente as razões legais
sobre este procedimento e se não houver fundamentos, nao restringir no futuro os
chamados visados de fazerem seus negócios.
Espera se esclarecimento a bem da comunidade.

J. F.
10 Setembro 2014
                                                
EDITORIAL

                  CABO VERDE GOVERNO POLITICA E ELEIÇÃO

O nosso Cabo Verde, como todos outros países, tem muitos problemas e muitas
vezes poucos são resolvidos. A  criminalidade e a falta de seguranca,  a economia
e o desemprego, são dois factores agudos de qualquer governação.

Como é do conhecimento geral em Cabo Verde, quando a azágua falha por causa
das chuvas o país sofre mesmo. Na era colonial, quando isso acontecia as
contingências implementadas não eram satisfatórias mas mesmo assim de alguma
maneira aliviava um pouco a situação, principalmente nas famílias mais
carenciadas.

No periodo pós independencia para além da transformação social e económica
positiva que o país  sofreu o dilema de azágua continua na mesma ou pior um
pouco, resultado de diferentes factores como o aumento da população, a grande
disparidade de preços dos ultimos trinta anos, o desemprego etc
Em Cabo Verde, nas vizinhanças ouve se a vóz do disánimo e desespero sobre as
perspectivas dum mau ano agrícola; muitos chefes de familias que contam com a
agricultura para sobreviverem, estão desesperados,  a população rural está sem
saber que contingencias vão ser  tomadas pelo actual governo.  
Outubro dos ventos quentes, está chegando, os terrenos  estão secos, as chuvas
estão escassas, não há postos de trabalhos,  em muitos concelhos como o de
Santa Catarina, Fogo, a fome é latente, muitas pessoas estão dormindo com fome
e outras esperando pela emigração que ás vezes tarda a chegar.  QUAIS SÃO AS
MEDIDAS QUE O GOVERNO VAI ADOPTAR  PARA SOLUCIONAR ESTA CRISE?

Remodelar o governo num pais democrático, na maioria das vezes é mesmo
normal. As últimas  mexidas ou remodelação  governamental do PM José Maria
Neves, em Cabo Verde, provavelmente está em grande parte relacionado com as  
eleições do PAICV que vai escolher um candidato para substituir a liderança  deste
partido politico.

Tanto o MPD, através do seu lider Ulisses Correia e o UCID, de António Monteiro,
criticaram negativamente estas mexidas, alegando que é uma mera reciclagem
política e um egrossamento do Governo.

Ora aumentar o governo em vez de reduzir nas circunstâncias em que estão
praticamente sem certeza de renovarem um outro....
Leia mais...
7 Julho 2016
                                                        EDITORIAL

Estará de visita esta semana aos EUA na região da Nova Inglaterra, Josrge Carlos
Fonseca, Presidente da Republica de Cabo Verde, que terá alguns encontros com
a comunidade e possivelmente com algumas figuras políticas Norte Americanas.

Esta é a primeira visita de Jorge Carlos Fonseca a terra do Tio Sam depois da
mudança governamental em Cabo Verde em que o MPD obteve a vitória sobre o
PAICV.

Recorda se que o MPD apoiou JCF na sua candidature presidencial e sengundo
ele mesmo vai ser apoiado outra véz pelo mesmo partido político.

Do lado do PAICV, as presidenciais aparentemente estão por definir e os
candidato/as estão estudando as melhores estratagemas politicas para avançarem.
De muitos candidatos ou candidatas que estão lutando para fazer frente a JCF, a
mais provável e provavelmente a mais indicada seria a ex ministra Cristina  Fontes
que tem uma grande aceitação nacional e internacional politica e social
praticamente em todas as áreas relevantes a administração presidencial em Cabo
Verde.

As eleições autarquicas está aproximando a passos largos em Cabo Verde e este
ano vão ser das mais renhidas - politicamente falando - éte agora; dada a grande
importancia que estas eleições tem de eleger dirigentes para as câmaras
municipais infelizmente a diáspora Caboverdiana não pode participar directamente
e dar a sua conttribuição cívica devido ao arcáico e prejudicial decreto lei que
proibe a comunidade de participar nestas importante eleições.

A maioria da comunidade Caboverdiana na diáspora está de acordo que esta lei
seja apreciada de outra maneira valorizando a emigração e reforçando a
democracia.

Cabo Verde e suas autoridades eleitorais ou a CNE, deve estar mais perto da
comunidade e facilitar um pouco o processo eleitoral e deixar a parte a burocracia
no processo eleitoral na diaspora e não complicando o direito de votar por exigir
provas a mais e não ter em consideração a identifição oficial do pais acolhedor que
uma pessoa apresenta impedindo assim o seu dever civico.

Aqui nos EUA,  a comissao eleitoral, o consulado, os politicos e a comunidade em
geral, devem fazer um melhor trabalho de incentivação ajudando melhor o
processo de recenseamento eleitoral para que o alto índice de abstenção seja
muita mais baixa.

Nao é falta de vontade que está causando isso porque  um grande número de
pessoas ou familias estão sendo deixados for a por muitos motivos quer seja
politicos ou sociais.
Brevemente a comunidade vai ser inundada pelos politcos que esta concorrendo
as camaras municpais em Cabo Verde seria bom que estes políticos fizessem
pressão junto a quem de direito para que os emigrantes tivessem vóz activa nestas
eleições.

O Povo é que mais ordena. Num país singular como Cabo Verde que vive
praticamente da emigração e com mais Caboverdianos residindo na diáspora do
que no main land, está chegando altura que o direito  de participação seja mais
facilitada e não seja só de exploração.
J. F.
                                                    EDITORIAL

                          PRESIDENTE DONALD TRUMP UM MAU ESTRATEGISTA

As relações entre os países não são baseados somente em lucros ou perdas
mas,  principalmente fundamentadas no entendimento mútuo que possa
perservar a páz, harmonia e progresso.

Neste Mundo que vivemos, muitos políticos  pensam primeiro em si mesmos e
fazem tudo a favor de possuirem a hegemonia para sobressairem ou preservarem
seus egos e não dão muitas vezes conta que com seus áctos podem até destruir
ou auto destruirem e envolver muitos nações em graves polemicas dificilmente de
controlar.

A história mostra que nós os humanos  estamos a contribuir para a nossa própria
extinção e de varias formas o que não é de estranhar. Se lembrarmos no defunto
Hitler que tinha pensado em criar a sua própria raça e acabar ou destruir com
todas as outras podemos ponderar onde podem chegar as forças malinas do mal.

Nos chamados tempos modernos em que vivemos, os interesses, caprichos ou a
hegemonia, estão ficando cada vez mais salientes. Sem dar nos conta, nós
mesmos estamos a percepitar o fim.

Depois da Segunda Grande Guerra, os EUA aproveitaram e sobressairam como
um país forte e de oprtunidades, abrindo as portas para a emigração e integração
que veio a culminar na igualdade de oportunidade e direitos.

A eleição do Presidente Obama, não foi por acaso mas sim por um conjunto de
resultados,  esforços, lutas, sofrimentos, desenvolvidos ao longo dos tempos,
baseadas numa  consciência    democrática e pluralista que continua a ser
constantemente posta a prova.  

A sucessão de Obama por Presidente Trump, foi motivado por forças bem
estruturadas motivadas especialmente pela ala ultra conservadora que
aproveitaram de algum descontentamento popular e por outros interesses ainda
menos eslarecidos para elegerem um  presidente que muitos dizem está não é
presidencial.  

Por mais estranho que possa aparecer o Presitente Trump, aproveitou das
circunstancias e  uma forma nova de fazer campanha politica menospresando
oponentes e desacreditando em grande parte a comunicação social e outros
segmentos da sociedade usando pre-conceitos sociais   apoiados por grupos
extremistas dividamente indentificados.

Tudo isso a maneira do Trump,  em nome de America e muitas vezes sem
emportar com as consequências.

Tudo isso envolveu a Casa Branca num desaire  de vai vem, esquecendo a boa
maneira de goverrnar até culminar no envolvimento do Presidente Trump na
península Coreana, criando uma enorme crise internnacional de grandes
proporções que pode mesmo destabelizar a páz mundial.
Aceitar a Coreia do Norte como uma potencia nuclear, usando a diplomacia para
negociar, pode acalmar os ánimos e não deve ser caprichos políticos de nenhum
estadista  mas totos devem  aceitar a realidade do dia a dia  como aconteceu com
outros paises nos exémplos da India, Pakistão, Israel e tantos outros que
possuem arsenais atómicos que provavelmente nunca vão ser usados.
J. F. 5 Setembro 2017
                                                      EDITORIAL

RECIPROCIDADE SOCIAL E POLÍTICA DOS POLÍTICOS NA COMUNIDADE

Durante muitos anos a nossa comunidade Caboverdeana nos EUA tem estado
sempre presente nos eventos sociais e políticos, organizados por pessoas ou
grupos a favor dos nossos políticos ou representantes que vêm de Cabo Verde.
Nestes “Parties” muitos são convidados e outros sem convite, compram tickets e
comparecem por uma razão ou outra.

Também algumas individualidades oficiais deste país participam ou são convidados
formalmente para participarem.

Esta prática social para além das chamadas condecorações que algumas vezes as
pessoas bem merecidas são reconhecidas, estes reconhecimentos sociais muitas
vezes vêm rotulados politicamente.

Em parte, nada de ma a respeito destes acontecimentos sociais e político mas a
reciprocidade praticamente não existe; isso quer dizer que os políticos que
deslocam de Cabo Verde em missão de serviços e outros em tempos de férias
nestas bandas da Nova Inglaterra, são bem remunerados.

Em contrapartida, quando os representantes comunitários locais deslocam a Cabo
Verde, muitos passam desapercebidos e outros são simplesmente condecorados
simbolicamente.

Em algumas destas mega eventos sociais a paricipação é bem alta, traduzindo
assim em receitas económicas positivas que raras vezes fica em negativo.

Somando as despesas e ficando com um saldo positivo; pode se perguntar onde
vai parar os lucros que óbviamente para um cidadão atento, sabe muito bem quem
vai beneficiar.

Em termos éticos e fiscais pode se perguntar muitas perguntas…

Eventos sociais muitas vezes tem muito a ver com candidaturas políticas
especialmente em tempos de campanha para as eleições.

Estão relacionados ou recheadas politicamente com promessas que poucas vezes
serão cumpridas.
Políticos são elegidos para legislarem a favor dos interesses da comunidade e
quando é ao contrário pondo os interesses partidários e pessoais acima de tudo
isso pode ser mesmo contraproducente.

Antes das eleições legislativas em Cabo Verde, tudo indicava que ia haver melhoria
nos serviços consulares deste país com a comunidade residente aqui nos EUA.

Apesar das promessas e manifestação de alguns políticos junto do Consulado de
Cabo Verde em Quincy Masssachusetts, expondo práticas negativas do antigo
governo, o pior veio a suceder; em vez de melhorar as relações para melhor servir a
comunidade o MPD e o actual governo de Ulisses Correia, sem mais nem menos,
cortou ou excluiu todos os notários públicos dos EUA a terem uma boa relação com
este consulado, prejudicando assim gravemente a comunidade e de que maneira…

Muito já tem sido falado e muitas promessas foram feitas a este respeito mas
caprichosamente e intencionalmente a prática explorátoria dentro do CCV nos EUA,
continua sendo diária sem contudo os nossos representantes ainda darem a cara
para reverter esta situação prejudicial na comunidade.
27/9/2019